DEVARNIER:

É Baiano, Soteropolitano, local onde trabalha e mora.
Formado em Desenho Arquitetônico,
Graduado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) como Artista Plástico em 1997,
cursou fotografia e computação gráfica no Rio de Janeiro e serigrafia em Salvador,
É aluno especial do mestrado em artes visuais na UFBA–EBA (escola de Belas Artes)..
Realizou 47 exposições de arte até o ano corrente (2007):
04 no Rio de Janeiro, 01 em São Paulo, 41 na Bahia (37 em Salvador, 02 em Feira de Santana, 01 Valença, 01 Alagoinhas).
Destacando entre estas: “momento estrito paranóico”, “visões, mostra de arte Zumbi dos Palmares”, “sweet dreads in alert”, “prêmio jovem revelação de artes plásticas de americana”,
“bienal do recôncavo” e dois salões regionais”.
Realizou exposições em postes da cidade de salvador intituladas: urbana - em todas as direções.
Em Abril de 2003 fundou o GRUPO “AS” (Artistas Sincréticos), com a exposição “QUIMERAS PLÁSTICAS” (exposição pré-Sincrética) realizada em 07/08/2003 em Salvador.
Ainda neste ano em 03/11, juntamente com Anderson Pereira (co-fundador do grupo) com quem fez as primeiras experiências com música sincrética, realizaram “BROMAZEPAN 18mg” a primeira exposição de Arte Sincrética. Posteriormente, em 05/06/2005 o AS fez “EXCESSO” uma coletiva de fotografia Sincrética, na qual os artistas desenvolveram uma trilha sonora para exposição.


Participou de algumas bandas alternativas baianas como: PESADELO, MONSTROS PRIMITIVOS, CRANITE, MODUS OPERANDI, PARAFERNÁLIA, PROJETO PARALELO E INOMINÁVEL. Produziu alguns discos de musica sincrética como: BROMA (2003, primeira experiência com musica sincrética), Ciclo Vital (2004, trilha feita pela banda Parafernália para uma instalação de mesmo nome), EXCESSO – Fluoxetina – devolve o colorido à vida (2005, trilha sonora da exposição) e participou do TERPSICORE – VISÕES DA NOITE (2003, trilha desenvolvida para apresentação da Companhia de Mistérios e Mascaras na exposição Quimeras Plásticas) e de musica alternativa como: parece que não há alternativa a não ser resistir... (PARAFERNÁLIA), reeditou uma fita demo da banda PESADELO (hardcore dos anos 80). Alem de produzir varias capas de CD’s.



Devarnier tem três trabalhos publicados nas ORIENTAÇÕES CURRICULARES ESTADUAIS PARA O ENSINO MÉDIO do Estado da Bahia-2004. Desenvolve um trabalho de pintura com foco na figura humana, onde busca a representação deste homem no contexto contemporâneo, numa leitura do cotidiano universal de forma subjetiva, pois entende que a arte seja uma forma de expressão objetiva da subjetividade. Na sua leitura subjetiva, o outro encontra uma outra leitura, pertinente somente a ele, enquanto indivíduo único, ainda que com os mesmos elementos plásticos, ali, claramente postos e expostos (espaço, tempo, movimento). A globalização, as relações humanas, a máquina, o computador, a clonagem. Os aspectos políticos, sociais, econômicos e psicológicos oriundos dessas relações, são assuntos que certamente o interessam. Querendo expor ali não só, a sua magia, a sua estética, o seu vigor de vida, mas também as suas inquietações, reflexões, dramas e degradações, enfim... Sua vida, com o que existe de mais fabuloso e mais vil possível. Às vezes tirando, às vezes pondo, tudo em busca de maior plasticidade, expressão e impacto.


<<<